Elefantíase

A doença tem este nome devido ao aspecto de perna de elefante do paciente sendo também conhecida por Filariose. Esta doença é causada por parasitas, mosquitos, tais como: bancrofti, brugia malayi e brugia timori. A elefantíase tem uma maior probabilidade de se manifestar nas regiões tropicais e subtropicais e como se sabe existe uma grande quantidade de mosquitos o que leva a que as pessoas tenham uma determinada prevenção com mosquiteiros e repelentes. Como referido em cima existem vários transmissores de elefantíase e estas têm vários estados de crescimento e formas; as formas adultas de brugia malayi são vermes nemátodes de secção circular e com tubo digestivo completo. Um dos mosquitos, muito vulgar para a transmissão de Filariose é o mosquito Aedes.

marcador

Sintomas: A transmissão de microfilárias (geralmente à noite e a depender da pessoa), tem automaticamente uma ligação com o sangue, logo esta vai - se dar pelos vasos sanguíneos podendo levar a reacções no indivíduo, como: prurido, febre, mal-estar, tosse, fadiga, principalmente inchaços nos membros, entre outros sintomas.

marcador

Diagnóstico: O diagnóstico de elefantíase é feito através da observação de amostras de sangue, caso a espécie apresente periodicidade nocturna é necessário recolher sangue á noite.

marcador

Prevenção: Existe um programa que procura eliminar a doença com fármacos administrativos como prevenção e insecticidas. É inútil usar roupas que cubram o máximo possível do corpo. O essencial é mesmo usar repelentes de insectos e dormir protegido com redes.

 

Voltar    Home